In The film “The Day After Tomorrow” the world was changed literally overnight due to severe weather changes. The Northern Hemisphere became covered in ice and froze in a matter of minutes.

I am no “Johnny Storm” but the signs are clear - we in Bermuda are facing a “Day After Tomorrow.” Life as we know it, may come to a frozen end.

Irreversible changes are  occurring in Global Finance.  Premier Craig Cannonier waffled between saying “We won’t sign any agreement” to then saying “We will sign only if.” Well Big Brother PM David Cameron said sign and Bermuda, along with five other British Overseas Territories (BOT), complied.  A multilateral tax convection agreeing to be a part of an international business register, which will disclose the owners of global businesses that are domiciled overseas ,was signed.

Rightly or wrongly, the outside world views Bermuda as a “Tax Haven; A “pariah country “were ultra wealthy corporations and individuals, hide nearly one trillion dollars to avoid paying taxes in their native countries. Well, “the tax man cometh” and he is indeed looking for his pounds of flesh.

Sir John Swan’s and Larry Burchall’s lobby for Bermuda to become the Monaco of the Atlantic open to wealthy foreigners, may no longer seem attractive or good public relations for our image. Forget Term Limits, that was an OBA political smokescreen.  One thing rich people hate more than anything, is paying taxes.

For us, we could potentially see an exodus of individuals and businesses that will head to some other part of the planet willing to hide their names.  This could lead to a vastly altered economy with a shrinking tax base and fewer IB related jobs.

Plan D

We as Bermudians, need to take a break from our 400 year civil wars of; “Black vs. White, Rich vs. Poor, UBP vs. PLP, OBA vs. PLP” and collectively look at ways to diversify our economy for the benefit of all.

We as Bermudians, need to rethink some long term plans as individuals and as a community. Many professions, that most Bermudians previously rejected, are in fact secure careers:

Police

Nursing

Medical Field

Auto and Heavy Mechanics

Service industry

There are new industries that we must look to in an effort to expand our revenue base including:

Marine based economy

Fish farming

Telecommunications

Aircraft & Airline registries

Gaming

Commercial Satellite and Space Industry

Adapt

Just as Premier Craig Cannonier had to humble himself and sign his John Henry, we as Bermudians need to humble ourselves and do what we do best; adapt and survive.

As a country we have been addicted to living off of those who were "avoiding" paying taxes. The G8 and G20 countries have issued their verdict. No more free rides for Bermuda.

Bermuda we are now facing our own “Day After Tomorrow.” I doubt we wish to freeze to death. It is time to warm up to each other.

No filme "O Dia Depois de Amanhã", o mundo mudou, literalmente, durante a noite devido a mudanças climáticas severas. O Hemisfério Norte tornou-se coberta de gelo e congelou em questão de minutos.

Eu não sou "Johnny Storm", mas os sinais são claros -. "Dia Depois de Amanhã" nós nas Bermudas estão enfrentando a vida como a conhecemos, pode chegar a um final congelado.

Mudanças irreversíveis estão ocorrendo em Finance Global. Premier Craig Cannonier waffled entre dizer "Não vamos assinar nenhum acordo" para, em seguida, dizer "Vamos assinar somente se." Bem Big Brother PM David Cameron disse sinal e Bermuda, junto com outros cinco territórios britânicos ultramarinos (BOT), obedeceu. A convecção fiscal multilateral concordando em fazer parte de um registo internacional de negócios, que vai divulgar os proprietários de empresas globais que estão domiciliados no exterior, foi assinado.

Certo ou errado, as visões de mundo fora das Bermudas como um "paraíso fiscal, um" país pária "foram ultra grandes corporações e indivíduos, esconder quase um trilhão de dólares para evitar o pagamento de impostos em seus países de origem. Bem, "o homem do imposto vem", e ele está realmente procurando por seus quilos de carne.

Sir John Swan e átrio do Larry Burchall para Bermuda para se tornar o Monaco da abertura do Atlântico para estrangeiros ricos, pode não parecer relações públicas atraentes ou bom para a nossa imagem. Esqueça limites de mandato, foi uma cortina de fumaça político OBA. Uma coisa que as pessoas ricas odeio mais do que qualquer coisa, é o pagamento de impostos.

Para nós, poderia ver um êxodo de indivíduos e empresas que irão para alguma outra parte do planeta, dispostos a esconder os seus nomes. Isso poderia levar a uma economia muito alterada com uma base fiscal encolhendo e menos empregos relacionados IB.

 

Plano D

Nós, como Bermudians, precisam fazer uma pausa de nossos 400 anos de guerras civis, "Black vs brancos, ricos contra pobres, UBP contra PLP, OBA contra PLP" e coletivamente olhar para formas de diversificar a nossa economia para o benefício de todos.

Nós, como Bermudians, precisamos repensar alguns planos de longo prazo, como indivíduos e como comunidade. Muitas profissões, que a maioria dos Bermudians anteriormente rejeitada, na verdade são carreiras seguras:

• Polícia

• Enfermagem

• campo médico

• Auto e Mecânica Pesada

• Indústria de serviços

Há novas indústrias que devemos olhar para em um esforço para expandir a nossa base de receitas, incluindo:

• economia baseada Marinha

• A criação de peixes

• Telecomunicações

• Aviões & Airline registros

• Gaming

• Satellite Comercial e Indústria Espacial

Adaptar-se

Assim como a Premier Craig Cannonier teve que se humilhar e assinar o John Henry, nós, como Bermudians precisa humilhar e fazer o que fazemos melhor, se adaptar e sobreviver.

Como um país, temos sido viciado em viver fora dos que foram "evitar" pagar impostos. O G8 e os países do G20 ter emitido o seu veredicto. Não mais borlas para Bermuda.

Bermuda nós estamos enfrentando agora o nosso próprio "Dia Depois de Amanhã." Eu duvido que deseja congelar até a morte. É tempo para aquecer um ao outro.